quinta-feira, 16 de setembro de 2010

ESTRUTURA E PROCESSO DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS

ESTRUTURA DAS PALAVRAS



A palavra é subdivida em partes menores, chamadas de elementos mórficos.


Exemplo: gatinho – gat + inho
Infelizmente – in + feliz + mente


ELEMENTOS MÓRFICOS



Os elementos mórficos são:


Radical;
Vogal temática;
Tema;
Desinência;
Afixo;
Vogais e consoantes de ligação.


RADICAL



O significado básico da palavra está contido nesse elemento; a ele são acrescentados outros elementos.


Exemplo: pedra, pedreiro, pedrinha.


VOGAL TEMÁTICA



Tem como função preparar o radical para ser acrescido pelas desinências e também indicar a conjugação a que o verbo pertence.


Exemplo: cantar, vender, partir.


OBSERVAÇÃO:


Nem todas as formas verbais possuem a vogal temática.


Exemplo: parto (radical + desinência)


TEMA



É o radical com a presença da vogal temática.


Exemplo: choro, canta.


DESINÊNCIAS



São elementos que indicam as flexões que os nomes e os verbos podem apresentar. São subdivididas em:


DESINÊNCIAS NOMINAIS;
DESINÊNCIAS VERBAIS.


DESINÊNCIAS NOMINAIS – indicam o gênero e número. As desinências de gênero são a e o; as desinências de número são o s para o plural e o singular não tem desinência própria.


Exemplo: gat o
         Radical desinência nominal de gênero


      Gat o s
Radical d.n.g d.n.n


d.n.g » desinência nominal de gênero
d.n.n » desinência nominal de número


DESINÊNCIAS VERBAIS – indicam o modo, número, pessoa e tempo dos verbos.
Exemplo: cant á va mos
      Radical  v.t  d.m.t  d.n.p


v.t » vogal temática
d.m.t » desinência modo-temporal
d.n.p » desinência número-pessoal


AFIXOS



São elementos que se juntam aos radicais para formação de novas palavras. Os afixos podem ser:


PREFIXOS – quando colocado antes do radical;
SUFIXOS – quando colocado depois do radical


Exemplo:


Pedrada.
Inviável.
Infelizmente


VOGAIS E CONSOANTES DE LIGAÇÃO



São elementos que são inseridos entre os morfemas (elementos mórficos), em geral, por motivos de eufonia, ou seja, para facilitar a pronúncia de certas palavras.


Exemplo: silvícola, paulada, cafeicultura.


PROCESSO DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS



Inicialmente observemos alguns conceitos sobre palavras primitivas e derivadas e palavras simples e compostas:


PALAVRAS PRIMITIVAS – palavras que não são formadas a partir de outras.


Exemplo: pedra, casa, paz, etc.


PALAVRASDERIVADAS – palavras que são formadas a partir de outras já existentes.


Exemplo: pedrada (derivada de pedra), ferreiro (derivada de ferro).


PALAVRASSIMPLES – são aquelas que possuem apenas um radical.


Exemplo: cidade, casa, pedra.


PALAVRASCOMPOSTAS - são palavras que apresentam dois ou mais radicais.


Exemplo: pé-de-moleque, pernilongo, guarda-chuva.


Na língua portuguesa existem dois processos de formação de novas palavras: derivação e composição.


DERIVAÇÃO



É o processo pelo qual palavras novas (derivadas) são formadas a partir de outras que já existem (primitivas). Podem ocorrer das seguintes maneiras:


Prefixal;
Sufixal;
Parassintética;
Regressiva;
Imprópria.


PREFIXAL – processo de derivação pelo qual é acrescido um prefixo a um radical.


Exemplo: desfazer, inútil.
Vejamos alguns prefixos latinos e gregos mais utilizados:


PREFIXO LATINO PREFIXO GREGO SIGNIFICADO EXEMPLOS
PREF. LATINO PREF. GREGO
Ab-, abs- Apo- Afastamento Abs ter Apo geu
Ambi- Anfi- Duplicidade Ambí guo Anfí bio
Bi- di- Dois pede grafo
Ex- Ex- Para fora Ex ternar Êx odo
Supra Epi- Acima de Supra citar Epi táfio


SUFIXAL – processo de derivação pelo qual é acrescido um sufixo a um radical.


Exemplo: carrinho, livraria.


Vejamos alguns sufixos latinos e alguns gregos:


SUFIXO LATINO EXEMPLO SUFIXO GREGO EXEMPLO
-ada Paulada -ia Geologia
-eria Selvageria -ismo Catolicismo
-ável Amável -ose Micose


PARASSINTÉTICA – processo de derivação pelo qual é acrescido um prefixo e sufixo simultaneamente ao radical.


Exemplo: anoitecer, pernoitar.


OBSERVAÇÃO :


Existem palavras que apresentam prefixo e sufixo, mas não são formadas por parassíntese. Para que ocorra a parassíntese é necessários que o prefixo e o sufixo juntem-se ao radical ao mesmo tempo. Para verificar tal derivação basta retirar o prefixo ou o sufixo da palavra. Se a palavra deixar de ter sentido, então ela foi formada por derivação parassintética. Caso a palavra continue a ter sentido, mesmo com a retirada do prefixo ou do sufixo, ela terá sido formada por derivação prefixal e sufixal.


REGRESSIVA - processo de derivação em que são formados substantivos a partir de verbos.


Exemplo: Ninguém justificou o atraso. (do verbo atrasar)
O debate foi longo. (do verbo debater)


IMPRÓPRIA - processo de derivação que consiste na mudança de classe gramatical da palavra sem que sua forma se altere.


Exemplo: O jantar estava ótimo


COMPOSIÇÃO



É o processo pelo qual a palavra é formada pela junção de dois ou mais radicais. A composição pode ocorrer de duas formas:


JUSTAPOSIÇÃO e AGLUTINAÇÃO.


JUSTAPOSIÇÃO – quando não há alteração nas palavras e continua a serem faladas (escritas) da mesma forma como eram antes da composição.


Exemplo: girassol (gira + sol), pé-de-moleque (pé + de + moleque)


AGLUTINAÇÃO – quando há alteração em pelo menos uma das palavras seja na grafia ou na pronúncia.


Exemplo: planalto (plano + alto)


Além da derivação e da composição existem outros tipos de formação de palavras que são hibridismo, abreviação e onomatopéia.


ABREVIAÇÃO OU REDUÇÃO



É a forma reduzida apresentada por algumas palavras:


Exemplo: auto (automóvel), quilo (quilograma), moto (motocicleta).


HIBRIDISMO



É a formação de palavras a partir da junção de elementos de idiomas diferentes.


Exemplo: automóvel (auto – grego + móvel – latim), burocracia (buro – francês + cracia – grego).


ONOMATOPÉIA



Consiste na criação de palavras através da tentativa de imitar vozes ou sons da natureza.


Exemplo: fonfom, cocoricó, tique-taque, boom!.




Finda-se mais um tutorial onde pudemos observar o seguinte:


A estrutura das palavras contém o radical (elemento estrutural básico), afixos (elementos que se juntam ao radical para formação de novas palavras – PREFIXO e SUFIXO), as desinências (nominais – indicam gênero e número e verbais – indicam pessoa, modo, tempo e número dos verbos), a vogal temática (que indicam a conjugação do verbo – a, e, i) e o tema que é a junção do radical com a vogal temática.


Já no processo de formação das palavras temos a derivação, subdividida em prefixal, sufixal, parassíntese, regressiva e imprópria e a composição que se subdivide em justaposição e aglutinação. Além desses dois processos temos o hibridismo, a onomatopéia e a abreviação como processos secundários na formação das palavras.



Resumão de Palavras

Imprimir


Publicidade

Palavra Composta 
Palavra composta é aquela que possui dois radicais, ligados normalmente pelo hífen.
Exemplos: São compostas as palavras guarda-chuva, porta-níqueis, lápis-borracha, corta-grama.

Palavra Oxítona
As palavras oxítonas são aquelas cuja acentuação tônica repousa na última sílaba.
Exemplos: sa, barril, porão, tabu, ci, i, lavar, cari, maracu, baniu, papai.

Palavra Paroxítona
As palavras paroxítonas são aquelas cuja acentuação tônica repousa na penúltima sílaba.
Exemplos: chuva, leito, seca, bata, boneca, cil, útil, tranqüilo, ceps, rax, podem, tão,

Palavra Proparoxítona
As palavras proparoxítonas são aquelas cujo acentuação tônica se apresenta na antepenúltima sílaba. Por regra geral, todas as proparoxítonas são graficamente acentuadas (acento agudo para a vogal oral a, para as vogais abertas e e o e para a vogais i e u, ou acento circunflexo no caso de representação das vogais e e o fechadas e da vogal a seguida de n e m).
Exemplos: príncipe, amico, último, roco, esquetico, lamo, sândalo, bálsamo, tráfego, trôpego, ônibus, nico.

Palavra Simples
Palavra simples é aquela que possui apenas um radical, independente de possuir desinências ou não.
Exemplos: São simples as palavras lápis, tesoureiro, entristecer.

Palavras Antônimas
Palavras antônimas são aquelas que possuem significados opostos, contrários.
Exemplo: São antônimos: quente e frio; alto e baixo; muito e pouco.

Palavras Cognatas
Palavras cognatas são as palavras que apresentam um mesmo radical primário, pertencendo desta forma a uma mesma família de significação.
Exemplo: As palavras corpo, corporal, corpúsculo, corporação, encorpar, incorporação, corpete, corpanzão e corpuscular são palavras cognatas, sendo que todas são derivações da palavra latina originária corpus.

Palavras Derivadas
Palavras derivadas são aquelas que resultam de outras palavras primitivas, através do processo de derivação.
Exemplos: Carreta, embarcação e amanhecer são palavras derivadas.

Palavras Homófonas
Palavras homófonas são aquelas pronunciadas da mesma maneira, mas escritas com diferente grafia.
Exemplos: São homófonas: mau e mal, por (preposição) e pôr (verbo), pelo (preposição por+artigo definido singular masculino o) e pêlo (substantivo).

Palavras Homógrafas
Palavras homógrafas são aquelas que possuem mesma grafia, mas distinguem-se quanto à pronúncia da vogal tônica. A diferença da pronúncia gera significação contextual diversa.
Exemplo: São homógrafos: pego, que tanto pode ser o verbo pegar na primeira pessoa do singular, do presente do indicativo (pronúncia do e aberto); ou o verbo pegar no particípio irregular (pronúncia do e fechado).

Palavras Homônimas
Palavras homônimas são aquelas que, embora possuam mesma grafia ou pronúncia, são diferentes em sua significação.
Exemplos: São homônimos: incipiente (=iniciante) e insipiente (=ignorante); conserto (=reparo) e concerto (=apresentação musical, em sua acepção mais corrente); são (=verbo ser), são (=sadio) e são (=santo); por (=preposição) e pôr (=verbo).

Palavras Homônimas
Palavras homônimas são aquelas que, embora possuam mesma grafia ou pronúncia, são diferentes em sua significação.
Exemplos: São homônimos: incipiente (=iniciante) e insipiente (=ignorante); conserto (=reparo) e concerto (=apresentação musical, em sua acepção mais corrente); são (=verbo ser), são (=sadio) e são (=santo); por (=preposição) e pôr (=verbo).

Palavras Homônimas
Palavras homônimas são aquelas que, embora possuam mesma grafia ou pronúncia, são diferentes em sua significação.
Exemplos: São homônimos: incipiente (=iniciante) e insipiente (=ignorante); conserto (=reparo) e concerto (=apresentação musical, em sua acepção mais corrente); são (=verbo ser), são (=sadio) e são (=santo); por (=preposição) e pôr (=verbo).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário